Conexão Docente: NAD lança Maestria e destaca trabalho dos professores durante a pandemia

Encontro organizado pela Coordenação Pedagógica envolve docentes do Centro FAG, FAG Toledo e Faculdade Dom Bosco. Competências europeias são referência para aprimorar o ensino.

05 de Outubro de 2020 - 17:05

O Centro Universitário FAG, a FAG Toledo e Faculdade Dom Bosco realizam o Conexão Docente 2020/2. O evento é formativo, e tem como objetivo apresentar aos professores as oportunidades que as instituições oferecem. "Fizemos uma edição especial para superarmos os desafios advindos do atual contexto do Ensino Superior", diz a coordenadora pedagógica, professora Lenir Luft Schmitz. 

Pensando nos profissionais, o encontro está sendo realizado em quatro datas: 01, 03, 06 e 07 de outubro, sempre às 17h45. O docente deve escolher o melhor dia de acordo com a agenda particular.  Os encontros são abertos com um vídeo onde a mantenedora agradece o empenho de cada um dos colaboradores, que estão à frente das turmas. A produção audiovisual mostra que os professores foram essenciais, reafirmaram o compromisso com as instituições por meio da paixão, zelo e qualidade de ensino. "Nós parabenizamos, reconhecemos e agradecemos cada um", conta Lenir. 

O Conexão Docente traz reflexão com a seguinte pergunta: "onde e como você, professor, se imagina em 2025, daqui a cinco anos?". "É preciso abordar o futuro para traçarmos uma linha e continuarmos progredindo nosso ensino". Lenir afirma que é essencial a presença de todos. "Ao participar deste evento cada docente pode realizar a sua autoavaliação das competências digitais e compreender o processo para a certificação destas competências, que estará sendo ofertado pelo Centro Universitário Assis Gurgacz, Cascavel e Toledo e a Dom Bosco", explica. 

Programa Maestria Docente é lançado e competências europeias aplicadas 

A coordenação pedagógica coloca que para se tornar realmente um mestre, o professor precisa aprender, ser criativo-ativo e ter, obviamente, maestria. Com esse pensamento a mantenedora das instituições de ensino superior lança o Programa Maestria Docente. Neste projeto, os professores terão acesso a 12 temáticas, que englobam a autoavaliação das Competências na Educação Virtual que já foram desenvolvidas e a percepção das que necessitam ser aperfeiçoadas. "Todo o percurso formativo está estruturado em 9 passos, de forma que o professor possa perceber com clareza a sua localização nesta trilha formativa e definir as formações que deseja participar", explica a coordenadora Lenir.

Segundo ela, toda a Direção está empenhada para tornar o programa um exemplo de excelência. "Uma das certificações é em relação ao desenvolvimento de competências docentes na educação virtual, focada na educação 4.0. Teremos ainda outras duas e o enfoque do programa é a transformação digital e humana. Todas as certificações trabalham nesse contexto e são fundamentais", conta. Um termo apresentado e trabalhado é o Figital, fusão do físico com o virtual. "Todas as experiências são essenciais à educação e em toda a sociedade. Não podemos ser somente digitais, precisamos das experiências reais. Agora estamos impossibilitados, mas isso não dever ser para sempre. Deve haver a integração do físico com o digital, cada um sendo utilizado de forma complementar, devemos ter uma educação híbrida", afirma. O Maestria pode ser acessado pelos professores por meio da página do NAD (Núcleo de Apoio ao Docente).

Indo além, a Europa é usada como referência, o Quadro de Competência Digital para Educadores do continente, chamado de  DigCompEdu, conta com versão em português e foi disponibilizado para os professores da FAG e Dom Bosco. "É um teste que os docentes fazem e nele vão perceber como estão em cada uma das seis áreas. Com isso podemos trabalhar o desenvolvimento e o aperfeiçoamento de habilidades", diz Lenir.

Ao fim do Conexão Docente os professores são convidados para publicar as experiências sobre as aulas virtuais. "Eles podem fazer por meio de diversas plataformas, dentre elas artigos, vídeos e podcasts", convida a coordenadora pedagógica da FAG e Dom Bosco.

Reportagem: Silvio Matos, acadêmico do 8º período de Jornalismo.


A Faculdade Dom Bosco desenvolve suas atividades no campus da Fundação da Assis Gurgacz, em regime de comodato desde 2002 quando se deu sua incorporação.
A Diretoria e a Secretária Acadêmica da Faculdade Dom Bosco estão localizadas no primeiro piso do prédio da Reitoria. A Biblioteca, Tesouraria, Ouvidoria, RH e demais setores de apoio administrativo e pedagógico, estão localizados no mesmo prédio, com exceção do protocolo que atende no Bloco I.

A maioria das atividades acadêmicas da Faculdade Dom Bosco são realizadas no Bloco IV, onde estão distribuídas as salas de aula, laboratórios de informática, sala de professores e coordenações dos cursos. Contudo, outros espaços são pontualmente utilizados para atender necessidades específicas como o caso do Curso de Tecnologia em Design de Interiores, que desenvolve parte de suas atividades no Bloco das Engenharias. O Curso de Tecnologia em Estética e Cosmética por sua vez, desenvolvem atividades nos laboratórios do Bloco I e na Clínica de Reabilitação.